sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Eu bocejo, você boceja, bocejamos todos


Basta alguém bocejar para começar uma ciranda: eu bocejo, você boceja e todo mundo ao redor boceja junto. Os bocejos são causados por sugestão, ou seja, contagiam mais que vírus. E não é necessário ver uma pessoa bocejando para bocejar também, só de ouvir a palavra bocejo ou até mesmo ler sobre o assunto, desencadeamos a mesma reação. Todos os seres do mundo bocejam, até mesmo os animais, todos eles, inclusive os peixes. Mas somente os humanos e os chimpanzés - nosso parente mais próximo do reino animal -, demonstram um nítido bocejo contagioso. O enigma mais complicado e, que ainda não foi devidamente explicado, tem a ver com o caráter contaminante do bocejar.
Há quem aponte para qualquer vantagem seletiva, como se fosse um sinal para a mudança de atividade. Deste modo, as pessoas que estão naquele ambiente, iriam se manter mais vigilantes. Sim, bocejar contagia e é bem provável que você boceje várias vezes enquanto estiver lendo esta matéria. Algumas pessoas acreditam que o bocejo está diretamente ligado ao sono, mas ledo engano, há muita gente que boceja de medo, de fome e até mesmo de nervoso.

Segundo a médica Diva Lewenthal, especialista em Neurologia e Psiquiatria, o bocejo é uma ação utilizada pelo corpo para ativar partes em estado de inércia - que estão paradas há muito tempo -, para que possamos "acordar". Ela explica que ao bocejar, o fluxo de sangue para o cérebro aumenta e, isso diminui a temperatura corporal, o que colabora para aumentar o estado de atenção.

Por isso espreguiçamos e esticamos os braços na hora em que bocejamos, pois o ato de bocejar está relacionado a momentos de baixo metabolismo do corpo. “Além do mais, bocejar movimenta diversos músculos da face, sendo, portanto, um excelente exercício aeróbico”, afirma. Existe ainda o aspecto sobrenatural desta ação: algumas crenças acreditam que o bocejo é a conexão das almas de cada pessoa. Quando uma pessoa boceja, o reflexo da outra é o de bocejar em resposta, sem nenhuma percepção ou vontade aparente. Alguns psicólogos atribuem o contágio do bocejo à pré-disposição à empatia, à capacidade de entender e se conectar com o estado emocional dos outros, mas a Neurociência discorda, e afere o fenômeno ao cérebro.

A especialista Lewenthal nos explica: "o bocejo é contagioso porque o cérebro humano tem tendência a imitar todas as ações feitas pelos outros. A imitação é algo importante, porque nos permite ter idéia das intenções dos outros e também aprender por meio da imitação. Algumas até se exteriorizam e viram gestos, mas a maioria delas acontece só no cérebro. Incide quando os neurônios-espelho, repassam os impulsos nervosos ao córtex pré-motor, área do cérebro responsável pelo controle e coordenação da motricidade voluntária.” Os neurônios-espelho têm esse nome porque refletem as ações que vemos e só não imitamos a tudo e a todos, graças ao córtex pré-frontal, outra parte do cérebro, que bloqueia a ação desses neurônios. "O cérebro funciona como um espelho.
Se você vê alguém coçando a cabeça, os neurônios recebem a informação e repassam ao cérebro - um órgão inteligente -, que acaba bloqueando o impulso nervoso enviado. Imagina se todo mundo imitasse todo mundo? Inviável", relata a médica. Sendo assim, por que imitamos o bocejo? “Porque o simples ato de bocejar aciona, além dos neurônios, a amígdala e o hipotálamo. Essas duas pequenas partes do cérebro provocam as alterações que acompanham o bocejo: a pressão arterial sobe, nos esticamos, inspiramos fundo e ficamos mais acordados. O córtex pré-frontal, aquela parte do cérebro que bloqueia as ações dos neurônios-espelho, não alcançam essas duas áreas cerebrais que ficam na lateral do cérebro. É a única ação que imitamos inconscientemente, sem escolhas”, ressalta Diva.

A neurocientista Suzana Herculano-Houzel - que atualmente apresenta o quadro “Neurológica” do Fantástico, exibido pela TV Globo aos domingos -, escreveu sobre o assunto no livro: “Por que o bocejo é contagioso?”, publicado em 2007 pela editora Jorge Zahar. Nele, a autora responde a 80 perguntas curiosas que tanto intrigam nosso cotidiano. Se todas as vezes que alguém bocejava você ficava perplexo tentando entender o porquê de bocejar também, agora já tem certeza de que o cérebro trabalha a seu favor, para o melhor funcionamento do seu corpo, mantendo ele sempre alerta. Agora que a curiosidade foi respondida, nada de sair por aí dizendo que bocejar depois de alguém é mera coincidência, o culpado é seu cérebro que labora milimetricamente, sem que a você perceba. E aí, bocejou pelo uma menos uma vez durante a leitura?

Um comentário:

Mary & Slater disse...

Adorei !
Muito bom agente ter a cosnciência de como as coisas no mundo hj já evoluriram!
vivemos numa correria tão grande q nos esquecemos q há 10 anos atrás a vida era em um outro ritmo!
Engraçado... tão pouco tempo...ao mesmo tempo parece tanto ?!
Mais as coisas estão tão mudadas q parecem séculos ñ 1 década apenas!
valew Bia!!!!!!!!